Páginas

sábado, 26 de novembro de 2011

leões brancos


leão branco constitui uma rara mutação de cor do leão-sul-africano (Panthera leo krugeri), devida a uma particularidade genética chamada leucismo. Não constitui uma subespécie. Distingue-se dos outros apenas pela sua pelagem muito clara, quase branca, causada por anomalias em seus genes. Os seus olhos são dourados ou azuis.
Esta característica não acarreta problemas fisiológicos – ao contrário do albinismo, o leucismo não confere maior sensibilidade ao sol. No entanto constitui uma desvantagem, pois reduz a sua capacidade de se camuflar na caça às suas presas.
Estes leões nunca foram muito vulgares na natureza. O gene que confere esta característica é recessivo, e apenas se revela quando são cruzados indivíduos portadores do gene mutante. Este cruzamento é feito propositadamente em zoológicos por já não existirem mais na natureza por essa razão é nestes onde existe o maior número de indivíduos. Apareciam também na reserva de Timbavati e no parque Kruger, na África do Sul, mas desde 1993 não são avistados,praticamente extintos da natureza.
Leões brancos não são albinos. Sua cor branca é causada por um gene inibidor recessivo, diferente do gene do albinismo. Eles variam de loiro por quase branco.
Existem também leões brancos por albinismo; esses possuem os olhos vermelhos e apresentam grande sensibilidade ao sol. São raros e ameaçados de extinção.
Os povos da África do Sul tinham crenças religiosas relacionadas ao leão branco. Ele era relacionado à prosperidade e à abundância e sua presença era uma espécie de dádiva divina. Também eram muito venerados pelos povos locais, que acreditavam que sua cor branca era um sinal da benevolência que deveria existir dentro de todos os seres vivos. Existia também a crença de que uma vez caiu um asteroide e que uma mulher entrou nele, alguns dias depois ela voltou como uma leoa branca.
Quando o leão ruge dentro da noite africana, cai o silêncio e reina o terror sobre as campinas. O rugido e a juba são marca registrada do leão. Mas o grito do rei dos animais é na verdade um sinal de que ele está satisfeito e de bom humor - até que a fome o faça interromper de novo seu descanso. Esse animal solitário dorme todos os dias nas savanas amareladas confundindo-se com o ambiente.
O leão branco em si, também caçava em bandos. A melhor de suas caçadas foi a de crepúsculo, á beira de poços de água. O leão pode até chegar a disputar um pedaço de carniça com as hienas, mas é difícil atacar o homem. Os chamados comedores de gente são leões velhos e fracos demais para caçar, os quais ficam rondando as aldeias. Quando está faminto, o leão se põe à espreita das manadas de zebras, antílopes e girafas. Escondido no capim, pula sobre a presa e domina-a.
O Leão branco já tem uma animação bem antes de sua divulgação pelos cientistas. Criada por um Jaones, o desenho chama-se "Kimba". Algumas pessoas dizem que o leão branco é um leão normal que tomou muito sol.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário